Vida

by - 18:00


Por favor, me escute.
Sei de nossos problemas, sei que somos uma pequena grande tragédia de nossas vidas, mas me escute, eu te imploro. Estou escrevendo porque não sei mais como chegar até você. Pode não se importar mais comigo ou com a minha existência, mas precisa tentar. Uma última vez, uma última tentativa, por favor, confie em nós, deixe-me tentar resgatar isso que nós temos, o que nós tivemos um dia. Sei que não se importa, sei que estou pedindo demais, por isso peço desculpas de antemão. Eu não queria você sofresse, apesar de tantos de meus pensamentos dizerem o contrário.
Quase cheguei a desistir de você tantas vezes, tantas que mal consigo lembrar de quando realmente acreditei em você. É tão comum pensar de você desta maneira baixa, desconfiada e mais do que tudo, de descrédito. Eu não acreditei em você verdadeiramente, pois para mim você é aquele tipo de farsa, escondida numa máscara romântica de segurança e propriedade, mas eu sempre vi além disso. Via seu fracasso, seu desencontro com o resto do mundo, suas lágrimas normalmente não derramadas. Você era e é uma farsa. Nenhuma vestimenta ou sorriso mais caloroso conseguia me esconder da verdade. O fracasso, despercebido, forçosamente intacto. Odiei você de tantas maneiras e nem ao menos você tenta fazer algo a respeito.
Você acha que merece meu ódio. Te desprezo e de volta recebo teu desprezo. Uma relação recíproca, uma entrega profunda e honesta. Mas eu quero te amar. Talvez nunca tenha te amado de fato, mas se nossos dias de glória tiverem realmente existido, quero-os de volta. Quero te amar novamente, quero acreditar em nós, não quero sua traição, muito menos seu abandono. Sinto sua falta, sei que meus pensamentos divergem a seu respeito, que meu ódio aumenta e diminui, de minhas incongruências a seu respeito. Perdoe-me, por favor. Quero que isso termine, porque dói demais. Amo você, mas parece que nada vai mudar. Estou tentando, então por favor, me escute. Não me deixe, não quero te deixar. Não vejo nenhuma luz, ou escapatória, só vejo você, só sinto você, mais nada, entre nós só o desamparo.
Quero te abandonar por completo, mas também quero te salvar. Te imploro verdadeiramente. Além daqui, não há nada para nós senão a solidão. Se eu te tenho, é porque você é o que me resta. Se me tem, é porque eu sou o que resta pra ti. Vamos dar-nos uma última chance, pois se somos realmente a coisa mais amada de nós mesmos, se merecemos mais tentativas, então nos resta tentarmos.
Sinto muito por não te abandonar por completo, pois sei que é isso que você gostaria. Mas não posso, não agora. Não é esperança, mas quem pode saber de nosso futuro? Se não enxergamos nada dele, talvez estamos comentando um erro em que querer continuar com isso. Se não há nada adiante, pelo menos temos nós. Talvez você me odeie ainda mais por não ter te abandonado completamente quando tive a chance. Só peço que tente mais um pouco.
Mas, por favor, não me odeie por ter tentado.



De mim para mim.


You May Also Like

3 comentários

  1. Nossa, que texto forte, principalmente com o final. Confesso que fiquei até meio triste depois de ler tantos sentimentos amontoados assim, meu core chega ficou apertadinho haha
    Espero que a mensagem tenha sido entregue e ouvida <3
    Neoguedes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que o texto despertou esses sentimentos em você, o papel foi cumprido. Obrigada <3

      Excluir
  2. Muito obrigada pelo elogio e pelo comentário! Super beijos!

    ResponderExcluir