Teoria do Pecadinho

09 abril 2017
https://goo.gl/J5tsa9
Não sei vocês, mas quando eu vou passando pela timeline do Facebook os vídeos se auto iniciam. Tem suas desvantagens. Às vezes algum vídeo de violência começa sem que eu tenha tempo de desviar o olhar. Em uma dessas, vi um fragmento do vídeo no qual uns homens espancavam a trans Dandara. É claro que eu fiquei sabendo do caso e é claro que eu não fui atrás de vídeos. Dias atrás tive a infelicidade de ver uma parte, o que me fez pensar: gente, por quê? Por que acontece uma coisa dessas em uma sociedade evoluída e civilizada como a nossa teoricamente é? Por que uma pessoa homossexual é assassinada a cada 28 horas?  Como as pessoas fazem isso, como olham e não fazem nada e como filmam e colocam na internet, como se aquilo não fosse uma atrocidade? E pensando sobre o assunto, comecei a encontrar algumas respostas.

Vejo pessoas repudiarem a violência policial, terem asco por quem maltrata animais e não poderem nem ouvir falar em vídeos em que fulano foi espancando até a morte. Por outro lado, vejo essas mesmas pessoas acharem bastante sensato bater na(o) irmã(o), namorada, esposa, filho(a) ou qualquer outro ser humano no qual se sinta superior em uma relação hierárquica. Agora você me pergunta: qual é a ligação que isso tem com a morte de Dandara?

Nós banalizamos a violência. Cenas de espancamento, linchamento, pais que batem nos filhos, brigas entre torcidas... essas e outras formas de violência são vistas como algo normal. Eu ousaria dizer mais: as pessoas não só banalizam a violência como também a hierarquizam! Nós vivemos na sociedade da Teoria do Pecadinho.

Sabe quanto tu vai no mercado, te dão o troco a mais e você fica bem caladinho? Isso é considerado um pecado menor do que ser homossexual. Sabe quando você fala mal daquela pessoa, o famoso “Não levantar falso testemunho”? Isso é considerado um pecado menor do que ser homossexual. Sabe quanto você xinga o coleguinha na escola, pratica bulling? Isso é considerado um pecado menor do que ser homossexual. Sabe quando um homem bate em sua esposa e você diz que em “briga de marido e mulher ninguém mete a colher”? Então... isso é considerado um pecado menor do que ser homossexual. Este é um pecadão e aquele, pecadinho, coisinha pouca.  

Mas o que muitos não veem é que uma coisa leva, sim, à outra. Começa chamando um moço(a) de viado, gay, bicha. Depois, constranger a pessoa por causa da orientação sexual. Logo vêm cenas de violência e mais uma morte por intolerância de gênero.

Então, eu te convido a não fazer parte deste grupo, que defende a Teoria do Pecadinho. Não ache engraçadas nem incentive “brincadeiras” que envolvam intolerância de gênero. Não veja uma pessoa ser agredida e se cale. Chame a polícia. Chame alguém. Peça ajuda.

A humanidade te agradece.



Lady Thaw
É uma sonhadora, amante de livros e literata. Adora cantar, dançar, ler e conversar. Um dia terá um gato preto chamado Plutão.
2 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

2 comentários:

  1. Aquele tipo de post que deveria ser recitado em horário nobre na televisão ♥
    Tirou muito dos meus pensamentos da boca!

    Jubaqueen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário. Sempre fico muito feliz em ver que outras pessoas também acham homofobia errado e apoiam essa causa. Beijos!

      Excluir

 
© Tribo Letras, VERSION: 01 - janeiro/2017. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo